sábado, 11 de novembro de 2017

O Simão comeu um cogumelo venenoso????


Simão em St. Maria

No outro dia telefonaram-me da escola dos miúdos, muito assustados, porque tinham tirado o que julgavam ser um cogumelo da boca do Simão.

Parece que o Simão, a brincar no jardim, esgravatou um bocado a relva e tirou de lá um cogumelo. Tiraram-lhe logo aquilo da boca, mas, como é óbvio, não podiam garantir que ele não tivesse engolido algum bocado. Compreensivamente, a educadora estava em pânico, as auxiliares estavam em pânico e a coordenadora da escola estava em pânico.

Mais em pânico fiquei eu, quando, ao falar telefonicamente com a pediatra, ela me mandou imediatamente para St. Maria com o miúdo. Passei pelo colégio, apanhei o Simão e o pedaço do cogumelo e lá arranquei para St. Maria.

A coisa resolveu-se rapidamente: o cogumelo foi identificado como não sendo venenoso; o Simão comeu um iogurte e ficou umas horas em observação (lá se foi o jogo do Benfica), sempre muito bem disposto, e voltámos para Sesimbra ao início da noite.

Nós, enquanto pais, e apesar do enorme susto, não mudámos a nossa perspectiva relativamente à educação dos nossos filhos. Continuamos a achar que as crianças têm de experimentar, têm de tentar, de explorar,  de se sujar, de cair e de se magoar (dentro dos limites óbvios de segurança) de forma a poderem crescer e evoluir. Todos nós queremos que os nossos filhos estejam sempre em segurança, mas isso só é possível a 100% se os pusermos dentro de uma redoma e nunca nos afastarmos. Como não nos parece que isso seja o mais saudável para o crescimento físico, emocional e cognitivo da nossa prole, vamos continuar a dar-lhes alguma trela (aquela que achamos apropriada).

Os responsáveis pela escola portaram-se de forma irrepreensível. Não fugiram com o rabo à seringa, estiveram sempre presentes e a acompanhar o caso, e, apesar de todas as medidas de segurança que já têm em vigor (que não são infalíveis, nem poderiam ser) vão rever os procedimentos de forma a evitar que se repita um caso igual.

No meio de tudo isto, há, contudo, um assunto sobre o qual eu sou inflexível, e que já provocou intensas discussões com a coordenadora da escola, mas que eu vou levar até às últimas consequências: o que o Simão comeu não foi um cogumelo, mas sim uma trufa!!! É muito mais fino!!

De aqui a 17 anos, quando o Simão estiver a dar uma entrevista "O que dizem os teus olhos", ao Daniel Oliveira, depois de ganhar a sua primeira Bola de Ouro, e estiver a contar esta história, não vai dizer que comeu um cogumelo!! C´horror!! Vai dizer que comeu uma trufa!!!

Trufa que o Simão comeu