sábado, 4 de novembro de 2017

E pimbas!!! 400 euros em vacinas!!!!



Tudo começou há uns mesinhos atrás, na consulta de revisão dos 9 meses do Simão. A  nossa pediatra (a melhor do mundo, na minha opinião) vira-se para mim e pergunta-me: 
"- Vocês já deram a vacina da Bexero às miudas mais velhas, não deram?"

É verdade que ela já me tinha falado dessa vacina (relativamente nova) anteriormente, mas também é verdade que o assunto ficou algo esquecido; as guias que ela já tinha passado ficaram perdidas algures dentro da mala dos documentos e o tema ficou encerrado dentro de um recanto qualquer do meu cérebro depois de eu chegar a casa e a Sara me ter perguntado: 
"- Então, como é que correu?" 
e eu ter respondido: 
"- Correu bem! Está tudo bem... Ela disse qualquer coisa sobre uma vacina, mas eu depois vejo isso...".

De forma que, algo envergonhado, tive de responder: 
"- Ahhhh.... pois.... não, Leonor, ainda não demos..."

A Leonor  (a pediatra) olha para mim algo espantada (como pai hipocondríaco que sou, não costumo falhar nessas coisas) e diz:
"- Bom... então vamos tratar disso e aproveitamos e damos também já ao Simão e à Petra! A Bexero é uma vacina importante, que protege contra uma variante da meningite."
"- Ok, ok!! Peço desculpa. Vou já tratar disso!!"
"- Atenção que é uma vacina cara. Vai ficar por volta dos 100 euros..."
"- Epá, está bem... não é barato mas fico com os 4 putos protegidos contra a meningite por 100 euros!! Vale a pena!"
"- Não... 100 euros cada!"
"- ....................Ahhhhh.... pois... (4x100=400 euros!!!! Porra!!!!!)....ahhhh....pois......Bem...tem de ser, tem de ser!!! É um mês em que apertamos mais o cinto..."
"- Não é só um mês..... Têm de levar 2 ou 3 doses."
"- ........Ahhhhhh.....Ahhhhhh......(400x2=800 ou 400x3=1200 euros!!! Vou vender um puto, não quero saber!!!!!!! Porra Simão, que nunca mais tens 17 anos para ganhares a tua primeira Bola de Ouro!!!!)....Ahhhhh.....Bom... ok....vou tratar disso....".

Bom... deixei passar as férias e, na semana passada, lá fui eu torrar os primeiros 400 euros a comprar a vacina para os 4 putos. No entanto, deixei-lhes bem claro que a vacina era para o bem deles e portanto teria de contar como prenda de Natal (e de aniversário)!!! Também os avisei que, nos próximos meses a suas refeições seriam, maioritariamente, à base de atum em água (imensas proteínas) e arroz.

"Resolvido" o problema da compra, passei para a temática seguinte: como é que eu vou dar uma vacina a 4 putos, sem aquilo se transformar num inferno na terra, com choro, gritos, ranho e baba à mistura? "Levo cada um em dias diferentes?? Assim perco 4 dias... Levo todos no mesmo dia? Como é que faço com a escola? Como é que faço para os putos não começarem a fugir dali assim que ouvirem o choro do primeiro?..."

Depois de muita ponderação, optei por marcar todos para o mesmo dia. Por azar, a marcação foi feita num horário em que seria impossível a Sara estar presente, e assim tive de pedir ajuda ao meu pai (o Teté).

Com cuidado, delineei um plano de forma a tornar isto o mais indolor (para mim) possível. Eu entraria com cada um lá para dentro, enquanto o meu pai ficaria cá fora com os restantes, afastado, de forma a não ouvir eventuais choros e gritos. A ordem das picas seria a seguinte:
1ª Simão - Não percebe nada do que se passa... Ponho-lhe o Panda no telemóvel e antes de ele dar conta já cá está fora, preferencialmente sem uma lágrima e, principalmente, sem barulho.
2ª Petra - A mesma lógica do Simão...
3ª Sofia - Já é crescidinha, apesar de ser a mais sensível a estas coisas. Mesmo que a Petra saia de lá a chorar já tem idade para não fazer birras.
4ª Alice - Normalmente é a mais dura nestas coisas. Pediu para furar as orelhas (2x) e não deitou uma lágrima; já foi ao dentista tratar uma cárie e não deitou uma lágrima; parte-se toda na bicicleta e não deita uma lágrima; arrancou o seu primeiro dente com um tiro de Nerf; etc... a escolha perfeita!!

É claro que nada disto correu como previsto...

O Simão é bebé, mas não é parvo e a Bexero é uma vacina particularmente dolorosa. E assim, mal a enfermeira começa a injetar o líquido, também o desgraçado do miúdo me começa num pranto audível a várias centenas de metros... Quando saio cá para fora para vir buscar a Petra, já estão as outras 3 a chorar e a dizer que não querem ir...

"- Ahhhhhhhh, Ahhhhhh, Ahhhhhh" (Simão a chorar)
"- Anda, Petra, anda! Vamos ver o Panda!"
"- Nhãaaooooooo, nhão quelo!!!!"
"- Ahhhhhhhh, Ahhhhhh, Ahhhhhh"
"- Anda, filha. Não doi nada...."
"- Ahhhhhhhh, Ahhhhhh, Ahhhhhh"
"-Nhãooooooooo, nhão quelo, nhão quelo!"
" - Pai, eu também não quero!!!!"
"- Sofia, cala-te!! Ajuda-me! Anda Petrinha... Não doi nada..."
"- Ahhhhhhhh, Ahhhhhh, Ahhhhhh"
"- Pai, eu também não quero ir!!!"
"- NHÃOOOOOOOOO QUELO!!!! NHÃOOOOO!!!
"- Ahhhhhhhh, Ahhhhhh, Ahhhhhh"
" - Alice, cala-te também tu!!! Ajudem-me vocês são as mais velhas!!! Ajudem-me!!"
"- NHÃOOOO!!"
"- Ahhhhhhhh, Ahhhhhh, Ahhhhhh"
"- Pai, não quero ir!!!!!"
"- Eu também não!!!"
"- Ahhhhhhhh, Ahhhhhh, Ahhhhhh"
"- NHÃOOOO QUELO!!"
...

Lá agarrei na Petra e levei-a para dentro. O Panda foi inútil. Não me parece que a Petra tenha memória das outras vacinas que levou, mas o que é certo é que ela estava particularmente desconfiada e não tirava os olhos das mãos da enfermeira (que fazia o melhor dos esforços para esconder a seringa...). A única coisa que a acalmou foi um vídeo de umas plasticinas da Patrulha Pata que ela adora ver. E assim, num momento de maior distração,... tungas! É claro que redobrou os decibéis do choro. Saí de lá com a Petra lavada em lágrimas e em ranho e entrei com a Sofia.

A Sofia, como é mais crescidinha, não fez nenhuma cena lá dentro (apenas alguns protestos), mas como é muito mariquinhas nestas coisas, logo após a vacina começou a ficar com os lábios brancos e com uma quebra de tensão. Lá tivemos de a deitar e de lhe dar um doce qualquer...

Sai a Sofia e entra a Alice. Já vinha toda borrada por ouvir os irmãos todos a chorar e, pelos vistos, só é forte para aquilo que quer. Fez uma birra de todo o tamanho!! Tive de lhe agarrar os braços porque não queria deixar a enfermeira dar-lhe a pica. Como é óbvio foi a que ficou mais dorida posteriormente, porque como esperneou tanto e estava tão contraída na altura em que levou a vacina, aquilo doeu-lhe muito mais!!

Também é claro que o Teté não foi grande ajuda.... a única coisa que fazia era pegar no Simão ao colo...Estava a ver, até, que tinha de pedir assistência para o Teté porque ele já estava a ficar branco só de ver as netinhas a chorar....

Enfim... a primeira dose já está! Já só faltam 800 euros...