sábado, 28 de janeiro de 2017

Expectativa vs Realidade

É claro que depois de um pico de excitação e dedicação ao Sete no dia de ontem, a sua primeira noite cá em casa foi uma noite dos infernos. As miúdas que fariam tudo pelo gato, que lhe dariam de comer, que limpavam a areia, que o levavam ao veterinário sozinhas e descontariam o valor das consultas das semanadas, borraram-se de medo quando o gato, durante a noite, saltava para dentro das suas camas e lhes mordia o cabelo; de forma que passei uma noite em claro, com as miúdas a chamarem-me, à vez, para ir tirar o gato da cama.
A manhã não trouxe grandes melhorias…

A Petra está constipada e com um bocadinho de febre. Quando a fui buscar à cama tinha tanto ranho seco colado à cara que parecia que tinha feito um tratamento de argila… Só faltavam as rodelas de pepino nos olhos… Está resmungona como tudo e ainda não parou de chorar desde que acordou. A comer o Cerélac entornou metade da papa em cima dela e em cima da mesa, o que, misturado com o ranho, dá uma mistura maravilhosa.



A Alice desceu as escadas vestida de princesa, por cima do pijama, com um daqueles vestidos do mais piroso que pode haver. A primeira coisa que me disse foi:
- Papá, chetou maravilhoja?
De seguida, foi-se colocar em frente ao espelho a fazer sozinha todos os diálogos da Frozen.



A Sofia que, normalmente, fala uma média de 15h por dia, acordou particularmente inspirada e já dissertou sobre a questão de as árvores terem ou não sentimentos, sobre a nova cor que gostaria de inventar, sobre o facto de gostar mais do verão porque o céu está mais azul, e sobre o facto de achar que já consegue perceber e falar a linguagem do gato. Para cada tema faz-me 23 perguntas, para as quais espera uma resposta.

O Simão acordou com cocó até ao pescoço e a chorar com fome. Normal.



E pensar que à 6ª feira temos sempre grandes expectativas de um fim de semana de descanso e harmonia…

E ainda são só 10.30h…