sábado, 22 de abril de 2017

Uma Mamoplastia de Aumento Entre 4 Partos


 

Verdade.

Sempre fui uma adolescente lisa, lisinha. Desde miúda que tinha nos meus planos futuros fazer esta operação. Havia quem tivesse pouco, havia quem tivesse algum volume, mas descaído. Eu não tinha nada. Nem um decote podia usar, não fazia efeito. Sempre fiz muito desporto durante toda a minha vida e, portanto, era mesmo seca.

Mal consegui juntar algum dinheiro, foi a primeira coisa que fiz.

Na altura já tinha sido mãe da Sofia (a nº1) e estive praticamente 1 ano a planear esta operação. Papei todos os programas, que possam imaginar, que passavam no canal “E” e que relatavam as mamoplastias de aumento das miúdas de Beverly Hills. Além disso, vasculhei todos os blogs que abordavam o assunto no sentido de recolher testemunhos de quem já tinha passado pelo processo, de forma a saber exatamente o que poderia correr mal, como é que ficariam as cicatrizes, e por que tipo de próteses e incisões é que poderia optar . Ao fim de um ano tinha tanta informação que decidi fazer o meu próprio blog com tudo aquilo que tinha recolhido.

Amamentei a Sofia durante 6 meses. O meu peito nessa altura esteve cheio, mas não tinha o volume que eu desejava. Mesmo assim lembro-me de ter tirado uma foto para poder mostrar ao médico, mais ou menos, aquilo que procurava. Depois do leite ter secado o meu peito voltou ao que era, sem diferença nenhuma.

3 anos depois da Sofia ter nascido, marquei a consulta. O mais importante para mim sempre foi conseguir passar EXATAMENTE a ideia do aspecto final que eu queria ter. E nem sempre é fácil. Além disso não queria que as próteses condicionassem a amamentação do próximo bebé (não tínhamos planeado nada mas sabíamos que queríamos mais filhos). Levei uns quantos recortes de revistas de bustos com o tamanho e aspecto que queria, e levei mais uns quantos com aquilo que não queria mesmo!!

Deixei o tamanho das próteses sempre ao critério do médico: “É este o aspecto que quero, ponha o tamanho que acha que deve colocar.” E foi a melhor coisa que eu fiz.

Como tinha muita informação e tinha visto mais de 500 programas, tinha na minha cabeça um valor aproximado do tamanho das próteses que achava que me iriam assentar melhor: 235cc.
Tive a consulta, fiz os exames que o médico pediu e marquei a operação. Este processo leva mais ou menos 1 a 2 meses.

Apanhámos o comboio para Famalicão e lá fui eu, felicíssima da vida!!

Cheguei à clinica, entrei no bloco, troquei uma ou duas palavras com o médico, ele pendurou os recortes que lhe tinha levado e puf, apaguei com a anestesia.

Acordei 1h30 depois, com algumas dores (nada que um comprimido não resolvesse), e com a sensação que tinha um camião TIR em cima do meu peito. A minha pele era tão firme, que empurrava as próteses contra o meu peito com muita força. A primeira coisa que fiz foi levantar a manta e perguntar à enfermeira qual tinha sido o tamanho que me tinham colocado. A resposta foi 360cc… ( WHAT???????)

Algum tempo depois saí de cadeira de rodas e fui de táxi para o hotel, descansar com o Pedro. Ficámos com o contacto pessoal do médico e sempre em contacto com a clínica.

Mal pus o pé no quarto, pedi ao Pedro que me tirasse as ligaduras para ver… 

OMG!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Eu parecia a Pamela Anderson!!!

“- Amor estou lixada!!!!!!!!!!!!!!!!! Eles abusaram!”, gritei eu, assustadíssima.

Estavam inchadíssimas, muito subidas, com algumas negras (soube mais tarde que experimentaram 3 tamanhos diferentes, e só à 3ª tentativa é que acertaram no tamanho) e algumas zonas estavam dormentes. A sensação que tinha era que se saltasse à corda o mais alto que pudesse o peito simplesmente NÃO MEXIA um milímetro. Super rijo, mesmo.

Apesar de ter visto e pesquisado tanto e sabendo eu que o aspecto inicial NUNCA é o aspecto final, na altura, fiquei cheia de medo daquilo não desinchar e amolecer. O choque inicial passou e acalmei-me. Fiquei dois dias em Famalicão, no hotel. Ao terceiro dia fui à consulta pós-operatória tirar os drenos, apanhei o comboio e fui para Lisboa. 3 semanas depois já estava a dar aulas no ginásio.

6 meses depois de massagens diárias e cremes específicos para as cicatrizes, vi o aspecto final. ADOREI!!!! Assentavam na perfeição. Posso usar vestidos e não preciso de um único soutien. Os decotes assentam que nem uma luva e acho que finalmente o meu corpo ficou proporcional.
A cicatriz ficou na axila (quase invisível), a prótese é redonda com projeção frontal, coloquei-a por cima do músculo, têm validade vitalícia e a probabilidade de ter cancro é exatamente igual a quem não tem próteses.

- Axila – escolhi esta incisão por ser praticamente invisível. Havia a opção de ser no mamilo mas fiquei com medo de perder a sensibilidade;
- redonda com projeção – a segunda opção seria em formato de “gota” mas o médico disse-me logo que, como faço muito desporto, o mais provável era a prótese rodar a certa altura, e ficar com a “gota invertida” (conheço casos desses);
- por cima do músculo – Por baixo do músculo ficava com um aspecto mais natural, mas como sou muito ativa, sempre que trabalhasse o peitoral as próteses iriam mexer (subir e descer).

Fiz a operação em Outubro de 2009 e em Junho de 2010 descobri que estava grávida da Alice (nº2). OMG!!!!! Acabadinha de fazer a operação, a gozar os primeiros decotes e biquínis novos e, pumbas!! O meu peito ia agora aumentar ainda mais por causa da subida do leite e da amamentação. Fiquei cheia de medo de ficar toda marcada cheia de estrias. Mal o teste de farmácia deu positivo, comecei nesse mesmo dia a colocar creme hidratante 2x por dia no peito: Velastisa Anti-estrias (o creme que utilizei nas 4 gravidezes) que me foi aconselhado pela dermatologista que consultei.

Felizmente as coisas correram bem! Zero estrias, zero pele solta. Como aumentaram, voltaram ao lugar. Na 2ª, 3ª e 4ª gravidez.

Hoje tenho o peito exatamente igual, senão um pouco melhor (porque a pele deu de si e elas ficaram mais naturais) do que 6 meses depois à operação.

O médico que me fez a operação é o Dr. Edgardo Malheiro que opera na clínica Uniplástica, em Famalicão. Paguei 2750€ na altura + 120€ de consulta + 20€ do soutien pós operatório.

Foi de longe a melhor decisão que podia ter tomado!!! Aconselho vivamente!!!