segunda-feira, 27 de março de 2017

A 1ª sopa do Simão!


Hoje foi o grande dia!! O Simão está um crescido e já come sopas e tudo!!!
Fomos à pediatra para a revisão dos 4 meses, na 6ª feira passada, e está tudo bem. O Simão está no percentil 85 a tudo (peso, altura e perímetro de cabeça). Isto, traduzido, quer dizer que está um gordo alto e cabeçudo.
Os 4 meses marcam, portanto, uma fase importante com a passagem para o quarto dele e com a introdução de sopas e de papas. Por um lado, a passagem para o quarto é maravilhosa para os pais porque, finalmente, podemos ver os "Vikings" na televisão do quarto com o volume acima do 1, e não precisamos de andar a falar um com o outro pelo msn quando estamos na cama. Por outro lado, a introdução das sopas e das papas, significa que se acabou o relaxe de preparar o biberão e enfiá-lo na boca do miúdo enquanto abanamos o berço e lemos "A Bola", para entrarmos num mundo de sofrimento, stress e sujidade.

Em primeiro lugar, temos de preparar toda a logística:
1) Fazer uma sopa com base de batata, batata doce ou cenoura e, de 15 em 15 dias, introduzir um novo vegetal;
2) Preparar a cadeira da refeição com a inclinação correcta - pouco inclinada e a cabeça anda de um lado para o outro; muito inclinada e o miúdo engasga-se;
3) Preparar vários babetes, guardanapos e toalhitas;
4) Ter a esfregona ao pé;
5) Ter numa mão o telemóvel com o Pocoyo para o ir distraindo, e na outra a chucha para lhe colocar na boca entre colheres (como só temos duas mãos, percebem a dificuldade que é dar-lhe uma colher de sopa...)

De seguida, depois da preparação, temos então que lhe dar de comer...
Ele começa logo a berrar porque está cheio de fome e demora ainda a perceber que aquele líquido estranho é comida. Depois, por cada colher que lhe pomos na boca 2/3 voltam a sair cá para fora, e nós temos de voltar a colocar lá para dentro, de forma que, a certa altura, já não sabemos se o prato está cheio ainda de sopa ou de cuspo. A cada 3 de 5 refeições ele acerta com uma mão na sopa e espalha tudo pelo chão, pelo que temos de limpar tudo e recomeçar o processo desde o início.

Parece fácil, não é? Mais fácil se torna quando, ao mesmo tempo, durante a refeição de família, temos a Petra a pedir "aíuda" para comer a sopa, a Alice a dizer que está cheia e não quer comer mais depois de só ter comido 2 bagos de arroz e a Sofia a pedir se pode comer tudo o que restou dos pratos das irmãs...