terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Um pai, 4 filhos, e uma gastroentrite...


Se há coisa que esta licença me ensinou a valorizar, é a coragem e o esforço daquelas mães que optam por não trabalhar e ficam em casa a cuidar dos filhos. Como qualquer um, antes de me ver neste papel, sempre que me diziam que a profissão de fulana tal era "dona de casa", eu só pensava: "Eishhh, granda sorte!!! Acordar ao meio dia, brincar com os putos, dormir uma sestinha... Maravilha!!!"

Claro...

Preparo o biberão, dou o biberão, lavo o biberão, preparo a muda da fralda, mudo a fralda, tento que ele adormeça, ponho as roupas cheias de xixi para lavar e as fraldas usadas no lixo, sento-me 15 min e começo um novo ciclo igual. Não é aquilo que eu imaginava...É verdade que ao 4º filho eu já devia estar habituado, mas, também é verdade, que as outras 3 nasceram em alturas do ano em que foi possível passar este período com a Sara.
É claro que, com 4 filhos, as coisas podem sempre piorar; e pioram exponencialmente quando uma delas está doente.
Foi o caso do dia de hoje...
Começou ontem  à tarde com um telefonemazinho do colégio das miúdas a dizer que a Alice estava mal disposta, muito branca e com dores de barriga. Pensei logo que para me estarem a ligar por causa da Alice (normalmente é a Petra) a coisa não ia correr bem. É que a Alice, apesar de ser uma trinca espinhas, seca como um carapau e de nunca querer comer nada, nunca fica doente. Não tem tosses, não tem constipações, não tem dores de cabeça, não tem nada!!! Acho que a bicheza das doenças não quer nada com aquela ruindade...
Foi durante esta noite que a coisa explodiu... Para além de acordar as duas vezes do costume, por causa do biberão do Simão, mais uma para ir apanhar a chucha da Petra, fomos surprendidos, às 5h da manhã, com um vómito, ao nível do Exorcista, da Alice. Cabelo, cara, pijama, lençois, cobertores, edredão e colchão cobertos de vómito de canja e mação assada... Toca de tirar tudo, pôr tudo para lavar, dar banho à miuda e fazer as camas de lavado. E fazer isto tudo em bicos dos pés, a rezar para os outros 3 não acordarem com o barulho...
Portanto, vamos lá enfrentar o dia com 3.30h de sono, na companhia de um bebé de 3 meses e de uma menina com uma gastroentrite, com febre, a vomitar e com diarreia... Ah, e a ter de desinfectar as mãos sempre que toco na Alice e depois tenho de pegar no Simão...

Nunca estive tão desejoso de ir trabalhar como agora!!!